A respeito do desenho e sua utilização na moda.

A IMPORTÂNCIA DO DESENHO NO DESENVOLVIMENTO E ELABORAÇÃO DO PRODUTO NAS EMPRESAS DE DESIGN DE MODA.


Julia Graciela Slomp
Centro Educacional Leonardo da Vinci – UNIASSELVI
Design Moda (MDA18) – Estágio
28/10/05

RESUMO


A importância do desenho no desenvolvimento e elaboração do produto nas empresas de Design Moda, diz respeito a sua relação com a apresentação da coleção de moda e sua influência na aceitação desta pelo cliente. A história do desenho abordada pelo trabalho e sua relação com o homem deste os primórdios até os dias atuais fundamentam a pesquisa. Desenhar mais que um ofício artístico uma maneira de comunicar, para o designer de moda desenhar significa materializar uma idéia, podendo assim, dividi-la com os demais profissionais que acompanham o desenvolvimento de uma coleção. Mais que uma ferramenta, o desenho de moda tem o poder de encantar o observador, tornar mágico este olhar artístico sobre um produto comercializável, facilitando aceitação das coleções pelo cliente. Afirmando a importância desta pesquisa, salienta-se que para o designer de moda desenhar é o mesmo que escrever, pois somente através de um desenho (mesmo que seja um esboço) ele poderá comunicar suas coleções e torna-las realidade no cotidiano das empresas em que atua. Assim a qualidade dos croquis de moda analisados em detalhes e correspondendo ao público destinado ás coleções, garantirão o sucesso das mesmas. Oportunizando melhores desenhos em menos tempo, o estudo e aplicação de ferramentas como o computador, oferecem uma alternativa de agilidade nas criações.
Palavras chave: aceitação, qualidade e agilidade.


1 INTRODUÇÃO

Este trabalho foi desenvolvido a partir do estágio realizado na empresa Narcisu´s Assessoria em Design de Moda. No decorrer deste, foram analisados alguns aspectos do trabalho que corresponde ao designer de moda: como pesquisa, interpretação de tendências, analise de público alvo, elaboração de painéis, criação dos produtos, desenho, modelagem, e acompanhamento da produção das peças. No entanto o desenvolvimento do produto e a apresentação das coleções com a utilização dos croquis de moda apresentaram uma nova opinião a respeito da importância do desenho no desenvolvimento e elaboração do produto nas empresas de design de moda.
Em se tratando de uma empresa destinada a assessoria, mais que desenvolver coleções para públicos diferentes em diferentes empresas, a Narcisus´s necessita surpreender em cada trabalho apresentado. Para corresponder a esta expectativa, o trabalho de estágio foi direcionado para a otimização das representações de moda apresentadas pela empresa. Com base no cotidiano vivenciado, realizou-se uma pesquisa que busca relacionar o croqui de moda, a melhor apresentação dos trabalhos e a sua importância para o designer de moda. Assim buscando além da estética dos trabalhos, sua melhor aceitação e viabilidade de produção, visto o tempo que o croqui de moda exige para ser realizado. Outro aspecto analisado por este trabalho e vivenciado no decorrer do curso, foi a dificuldade dos acadêmicos do curso de design moda para desenhar, onde muitos afirmam que pouco do que é estudado nas disciplinas de desenho será utilizado na vida profissional. Este afirmação foi tornada inválida na aplicação deste estágio uma vez que o desenho de moda quanto mais rico em detalhes e expressividade mais pode influenciar o observador a compra, sendo um forte aliado dos designers de moda na vida profissional.



2 A HISTÓRIA DO DESENHO.

Desde a antiguidade o homem realiza representações a cerca da figura humana. Desenhos rupestres expõem homens em situações cotidianas, utilizando desenhos bastante estilizados e provavelmente sem o uso de um cânone de proporção. Estes desenhos, acredita-se tinham para o homem rupestre o poder mágico onde a caçada era realizada antes no desenho, para capturar a alma do animal, tornando a caçada mais fácil. São inúmeras estas representações onde muitas vezes o homem rupestre utilizava até mesmo os declives das pedras para melhor representar, dando o efeito de profundidade e volume aos desenhos.
Já os Egípcios utilizavam-se de proporção para representar a figura humana, o cânone egípcio era composto por 19 módulos, e a medida base era a terça parte do comprimento do pé, este desenho era representado sem perspectiva com a face e os pés de lado, os olhos e o tronco de frente e de maneira bastante estilizada.
Outras civilizações antigas demonstraram conhecimento em relação á representação humana.Os Persas que semelhantemente aos Egípcios utilizavam um cânone de proporção, diferindo este pelas medidas de 6¹/2 (seis e meia) cabeças para obter o comprimento do corpo, certamente não atingindo as medidas reais das pessoas da época. Os gregos desenvolveram um cânone muito próximo ao que utilizamos atualmente. Sua proporção é matematicamente calculada para representar seus Deuses como Apolo. Este era composto de oito módulos, cada membro a ser representado era localizado nos módulos pertencentes ao cânone. Os Etruscos merecem destaque pela harmonia de suas representações humanas, apesar de não utilizarem o cânone matemático como os Egípcios.
Como vimos, a história da representação humana é tão remota quanto a história da própria humanidade. Mas sua grande evolução acontece no Renascimento, com estudos mais aprofundados da anatomia humana e suas proporções. Os grandes mestres do Renascimento como Da´Vinci desenvolveram estudos da anatomia humana que revolucionaram estas representações. Exibiam em suas criações rostos com expressões e corpos em movimentos reais. Suas obras levavam anos para serem finalizadas e muitas acredita-se, ficaram inacabadas devido a riqueza de detalhes. Portanto citando “Questi studi di mani femminili e di teste virili di Leonardo da Vinci (1452-1519) rivelando la complessitá del disegno della figura umana e delle sue parti.”¹ (Cella,1993, p.104).trad este estudo da mão feminina é um teste verdadeiro de Leonardo da Vinci (1452-1519) revelando a complexidade do desenho da figura humana feminina e de suas partes. As obras deste período revelam a complexidade da expressão da figura humana através do desenho demonstrando o estudo necessário para desenvolve-lo com exatidão. Passando do conhecimento dos grandes gênios da pintura, a representação da figura de moda esta surgiu a apenas algumas décadas, e para ser realizada depende dos conhecimento de proporção e anatomia utilizados pelo desenho da figura humana. A representação de moda difere então na estilização, ou seja, na simplificação das formas e nas medidas que fogem a realidade humana. O croqui de moda é desenvolvido na grade de proporção com nove cabeças, que corresponde a duas colunas de nove quadrados medindo 3cm², já o desenho da figura humana feminino tem 7 cabeças e meia e o masculino 8 cabeças.
As obras de arte assim como os croquis de moda tiveram uma grande evolução com o passar das décadas e a invenção de máquinas como a de fotografar. Isto acontece porque a arte e a moda representam o espírito da sociedade e traduzem suas mudanças. Com a invenção da fotografia ficou desinteressante desenhar com perfeição, pois para este resultado bastava somente um click, assim os croquis passaram a ser representados com menos detalhes. Os croquis antigamente eram representados sem movimento, parecendo uma boneca de comprimento exagerado. Afirmando que as mudanças sociais influenciam a moda e a maneira de expressar a figura humana apresenta-se a evolução dos croquis no século XX: A década de 10 trás uma mulher feminina de formas onduladas sem exageros. Década de 20 tem uma mulher andrógena e alongada. Década de 30 o desenho é ainda mais simplificado porém com adereços e jóias. Década de 40, influenciada pela 2a. guerra mundial o croqui é de ombros largos e formas masculinas com poucos traços no rosto. Depois do final da guerra o croqui volta a ser feminino. Década de 50 a mulher é feminina e com curvas inspiradas nas divas do cinema, o rosto acompanha com mais destaque. Década de 60 a corrida espacial traz um look futurista também aos croquis que passam a ser longos e com detalhes mais expressivos no rosto como olhos grandes. Década de 70 a atitude e ousadia do movimento hippie trazem croquis com influencia cultural do mundo todo. A década de 80 com roupas unisex apresentam croquis andrógenos. A mudança das tendências de moda da década de 90 e as inspirações em décadas passadas deixaram os croquis com influencias diversas, onde passa a ser valorizado o estilo próprio para o desenho.
Para realizar uma boa representação de moda o designer deve desenvolver estudos da anatomia humana, esboçando formas e a postura que será mais interessante para cada croqui, analisando o público a ser atingido. Croqui significa citando FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. 11ª ed. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira S.A, 1974. p. 348. “esboço de desenho ou pintura”. Assim o estudo da estrutura contribui de maneira irrevogável ao desenho de moda, mas o que deve estar em maior evidência é o vestuário e não a figura de moda. Desta forma o croqui é estilizado, onde é representado o estilo de desenho de cada profissional que é desenvolvido ao longo do tempo. Este estilo pode ser alterado, aperfeiçoado, assim como pode sofrer influencias de moda.

3 APRENDER A DESENHAR É APRENDER A VER.

Muitos acadêmicos do curso de design de moda não acreditam que o desenho é importante para a vida profissional. Isto acontece por que apenas 5% das pessoas nascem com aptidão para desenhar, as demais só conseguirão resultados praticando. É necessário motivação para que estes acadêmicos desenvolvam o desenho que pode apresentar resultados surpreendentes com a utilização das técnicas de desenho e a sucessiva pratica dos mesmos.
É importante que o designer de moda enfrente as barreiras de aprender a desenhar, pois este desenvolverá a inteligência espacial que permite formar um modelo mental. Esta aptidão comum aos desenhistas contribui também para o designer de moda, pois, antes de desenhar o modelo existe somente na imaginação do designer, passar a idéia para o papel é apenas conseqüência deste processo. Portanto esta aptidão torna profissionais mais seguros e menos propensos a cópia.
A autora do livro Desenhando Com o Lado Direito do Cérebro Betty Edwards coloca alguns exercícios para aprender a ver, como o da taça e o perfil onde o observador cria um conflito na mistura das duas imagens. Outro exercício é o de copiar imagens de cabeça para baixo, invés de colocar a imagem a ser copiada em pé se coloca esta invertida, obrigando o cérebro a utilizar o hemisfério direito. Exercícios simples associados a técnicas de desenho e observação aliadas a muito treino tornam qualquer pessoa capaz de desenhar e com facilidade.
Outro fator intrigante deste tema é a cultura ocidental que valoriza muito as aptidões como matemática e lingüística, dando menos importância as demais aptidões. As crianças em idade escolar, na maioria dos casos, tem disciplinas direcionadas para a arte, mas no entanto tratam-se de disciplinas menos valorizadas. Ao concluírem o primeiro grau na maioria dos casos deixam a pratica do desenho, estagnando então o desenvolvimento do mesmo. Tornar a pratica do desenho fundamental nas escolas tornaria profissionais com inteligência espacial o que contribuiria não somente para os designers de moda, mas para profissionais nas áreas de engenharia, medicina(cirurgiões), artes (escultores e pintores) e marinheiros.

4 POR QUE APRESENTAR AS COLEÇÕES NO CROQUI DE MODA

Com o objetivo de introduzir uma técnica inovadora de apresentação dos modelos desenvolvidos na empresa Narcisus´s Assessoria em Design Moda, este trabalho buscou subsídios nas informações adquiridas em bibliografias e através de entrevistas aplicadas em empresas da região.
No decorrer do trabalho realizado, foi perceptível o interesse dos clientes quanto á apresentação dos modelos utilizando os recursos dos croquis, considerando que anteriormente os projetos eram apresentados apenas em desenho técnico manual, ao serem apresentados em croqui manual passaram a evidenciar as criações, uma vez que possibilitaram a visualização da peça vestida e o público alvo almejado. Os croquis são apresentados desenhados manualmente, acompanhados de três alternativas para cada modelo a ser selecionado e tendo uma simples descrição nos detalhes da peça. As cores e acabamentos são escolhidos a partir do modelo selecionado, sendo posteriormente desenvolvida a modelagem e peça piloto deste produto. Citando Treptow, (2003, p.140):
Para os departamentos de marketing e vendas, que enxergam a coleção como um todo, o croqui é uma ferramenta importante, pois através dele (na postura de manequins, no uso de acessórios, nas combinações produzidas) é que o designer transmite a relação entre as peças isoladas e o tema da coleção.
Como vimos anteriormente o croqui de moda é algo que exige do designer certa habilidade e estudo. Inicialmente são produzidos os esboços da posição desejada e musculatura, utiliza-se para isto a grade de proporção do desenho de moda que é formado de duas colunas de nove quadrados medindo 3cm² (denominada medida nove cabeças). Tendo esta grade como base, sobrepõe-se a folha onde será traçado o esboço do croqui contendo as medidas orientadas pela base. Traça-se a linha da cabeça que é um oval dividido ao meio e separado por três linhas horizontais marcando a linha dos olhos, nariz e boca. As demais partes são traçadas de acordo com as orientações da grade de proporção. Com estudos mais aprofundados realizam-se desenhos com movimentos, que agregam valor á coleção.
As bases são desenhadas nuas para serem aproveitadas em diferentes projetos. Ao escolher a base a ser utilizada o designer sobrepõe a folha onde será desenhado o croqui esboçando a roupa com caimento de tecido e aplicando o maior detalhamento possível. Nesta fase copia-se as mãos, cabeça, e pés do modelo e recorrendo ao estilo da coleção, identificando o desenho ao público almejado.Conforme a citação; “O desenho é recopiado [sic] eliminando traços desnecessários, aplicando cores conforme a técnica de ilustração desejada (caneta, pantone, aquarela, etc). TREPTOW, Doris. Inventando Moda. Planejamento de Coleção. 2 ed. Brusque:D. Treptow, 2003.p.140.
O croqui de moda tem o poder de assimilar a criação ao público a que é destinado, utilizando-se de recursos como a estilização. Por exemplo, uma coleção destinada a senhoras deve apresentar um perfil que se adapte a este público, assim apresentando cabelos, corpo, detalhe de olhos etc..., que identifiquem a consumidora, “O designer com pratica saberá explorar posturas alternativas para o croqui, que transmitam a atitude e estilo do público ao qual a coleção se destina” TREPTOW, Doris. Inventando Moda. Planejamento de Coleção. 2 ed. Brusque:D. Treptow, 2003.p.140.Esta maneira de apresentar facilita a percepção do cliente que pode observar a criação como um todo e assimila-la aos seus clientes finais.
Este processo que o desenho de moda requer para que seja realizado com competência, despende de tempo. Para solucionar este problema o designer de moda pode contar com programas de computador como o Corel Draw e Photoshop.


5. CROQUIS DE MODA NO COMPUTADOR:

Para desenvolver desenhos com maior agilidade, o designer de moda pode contar com o auxílio do computador, neste processo ele re-aproveita as bases e desenhos já realizados, com os comandos importar e copiar, alem das demais ferramentas oferecidas pelo Softaware Corel Draw.Ao transformar saias longas em curtas, estilos de cabelo ou detalhes de face em menos tempo, o desenho em Corel Draw proporciona maior agilidade ao trabalho do designer de moda. Estes processos se tornaram conhecidos para desenvolver estamparia e padronagem de tecidos, depois os designers encontraram nestes uma alternativa interessante para suas criações. Duas são as formas de informatizar os desenhos: vetorial e por Bitmap. Sendo os desenhos vetoriais os mais populares, que segundo TREPTOW, Doris. Inventando Moda. Planejamento de Coleção. 2 ed. Brusque:D. Treptow, 2003.p.146 “…produz formas geométricas que podem ser ampliadas ou reduzidas sem a perda de foco ou alteração do formato.” Os desenhos por Bitmap oferecem ao designer uma maior manipulação das imagens, tornando possível alterar cores e detalhes do desenho, é possível ainda inserir novas técnicas como a ilustração com carvão entre outras. Porém segundo TREPTOW, Doris. Inventando Moda. Planejamento de Coleção. 2 ed. Brusque:D. Treptow, 2003.p.146 ”Um bitmap é a coleção de pontos de luz, ou pixels importantes ou [sic] na distorção do foco da imagem.” Para utilizar o desenho por bitmap é necessário muitas vezes, corrigi-lo já que neste processo são alteradas as formas reais.
Assim, alguns designers que ainda preferem os desenhos manuais, pela naturalidade destas formas, podem unir as duas técnicas. Scaniando os desenhos manuais (processo de vetorial) e alterando- os( utilizando o comando por bitmap) com o auxílio de softwares como o Adobe Photoshop. Este software é semelhante ao Corel Draw , porém, este oferece algumas ferramentas complementares proporcionando acabamentos diferenciados ao desenho e valorizando as criações. É permitido, por exemplo, maquiar o croqui de moda e representar luz e sombra com maior realismo do que no Corel Draw, além de corrigir possíveis falhas do desenho manual. Outro artifício interessante deste software, é a criação de fundos para o croqui, que de acordo com o conceito da coleção, tornará o desenho mais comunicativo.

5.CONCLUSÃO:...........

Com a execução deste trabalho podemos perceber a importância do desenho para o designer de moda. Ao desenvolver uma coleção, o profissional de moda torna-se responsável também pela qualidade na apresentação das peças. Sendo que o sucesso da apresentação garante o sucesso da coleção, e a satisfação dos clientes. Afirmando assim a função do designer de moda não somente como um criador, mas responsável pela aceitação das coleções.
Abordamos a história do desenho em suas diferentes épocas e percebemos que este se transformou assim como a moda e a humanidade. Analisamos a diferença do croqui de moda e a representação artística da figura humana, assim como a importância do estudo de ambas. O trabalho analisou ainda as dificuldades encontradas pelos designers, ao desenvolverem os croquis de moda, uma vez que despendem de tempo para serem realizados. Apresentou soluções e melhorias no que se refere aos desenhos no computador e suas inúmeras possibilidades.
Relacionando a profissão designer de moda e a de desenhista, este trabalho conclui que ao apresentar as coleções de moda em croqui seja ele manual ou informatizado, possui maiores possibilidades de aceitação para o cliente, alem de tornar o trabalho melhor e profissional.


6.REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

CELLA, Carla. Disegno di Moda. Milano: Copyright©Ulrico Hoepli Editore S.p.A.,1993.
FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. 11ª ed. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira S.A, 1974.
TREPTOW, Doris. Inventando Moda. Planejamento de Coleção. 2 ed. Brusque:D. Treptow, 2003
SANTOS, Fabiana Ludwig. O Desenho De Moda E Sua Importância No Desenvolvimento De Uma Coleção. Florianópolis: UDESC,2004.

Nenhum comentário: